background

Literatura - poesias

  • A marca e a fronteira

    Eu sou o elo partido na roda,
    eu sou o selo da carta sem volta.
    Eu sou a mãe de uma filha que é puta,
    eu sou a fruta que é doce e podre.
    Sou a fartura de resto aos porcos, 
    eu sou a carne que falta ao pobre,
    Sou a procura da cura do bem,
    sou a doença que o mundo pensa que tem,
    Eu sou...
    fogo que não apaga, fronteira sem parede,
    uma marca de infância, água que dá sede....
    sou o que destrói, sou criador...

    Eu sou a roda partida sem elo,
    eu sou a carta que volta sem selo.
    Eu sou uma filha da puta que é mãe,
    eu sou o podre da fruta que é doce,
    Eu sou o pobre que não come carne,
    eu sou o bem que procura a doença,
    Eu sou a cura que o mundo não tem.
    Eu sou, eu sou,
    fogo sobre água, parede que se apaga,
    Sede de infância, a marca e a fronteira...
    sou o que constrói, destruidor...